Tipografia

O processo de produção do jornal O Taquaryense remete a técnicas antigas, pensadas e desenvolvidas em diferentes épocas. A tipografia envolve a criação dos caracteres, a composição dos textos e das páginas – com tipos – e a impressão. O termo tem origem na palavra tipo – caracteres que representam as letras, os números e sinais de pontuação.

Tipos
 Tipos móveis utilizados na composição d’O Taquaryense

Alguns pesquisadores mencionam os chineses como os inventores dos tipos móveis. Pi Sheng criou-os entre 1041 e 1049, com um material constituído por argila cozida no forno – a terracota. Mais tarde, no início do século XIV, o zinco e a madeira passaram a ser usados. Por volta de 1400, os coreanos criaram a primeira fundidora de tipos de bronze. Não se tem notícia de que essa tecnologia tenha chegado à Europa antes da invenção da prensa de Johannes Gutenberg. É por isso que a criação dos tipos móveis e o nascimento da imprensa são atribuídos a ele, que, na metade do século XV, criou a prensa gráfica e, por volta de 1456, imprimiu o primeiro livro – a Bíblia de 42 linhas.

Outros processos de produção e impressão foram desenvolvidos com o passar dos anos. No entanto, O Taquaryense mantém as características artesanais de um jornal tipográfico.

 Você sabia?

Os termos “caixa alta” e “caixa baixa” – que correspondem, respectivamente, às letras maiúsculas e minúsculas – surgiram porque os tipógrafos tinham por hábito organizar os tipos em compartimentos de madeira ou ferro num cavalete. Na parte superior destes compartimentos – caixa alta – ficavam as letras maiúsculas; na inferior – caixa baixa –, as minúsculas.

Caixas

Compartimentos nos quais são guardados os tipos móveis

A Bíblia de 42 linhas ou B 42 era chamada desse modo por ter 42 linhas em cada coluna de texto. Foram impressos cerca de 200 exemplares. Alguns estudiosos acreditam que, antes da Bíblia, Gutenberg imprimiu o livro Weltgericht. Dois pequenos fragmentos da publicação foram encontrados em Mainz, cidade natal do inventor, quatro séculos depois – em 1892. Supõe-se que a impressão tenha ocorrido entre 1444 e 1447, e que era composta por 74 páginas, com 28 linhas cada uma.

Fontes:

SILVA, Rafael Souza. Diagramação: o planejamento visual gráfico da comunicação impressa. São Paulo: Summus, 1985.

PEREIRA, Ademar d’Abreu. Tipos: desenho e utilização de letras no projeto gráfico. Rio de Janeiro: Quartet, 2004.

COSTELLA, Antonio F. Comunicação – do grito ao satélite: história dos meios de comunicação. 5. ed. Campos do Jordão: Mantiqueira, 2002.

Leave a Reply

Your email address will not be published.